domingo, novembro 22, 2009

A professora que se entregou ao próprio filho...


Me considero uma bela e gostosa mulher, tenho 38 anos de idade, 1.72 de altura e 60 kg muito bem distribuídos por um belo e tesudo corpo. Desde que me separei do meu marido há dez anos que passei a me dedicar exclusivamente à criação e formação educacional e cultural do meu filho Anderson, hoje, um belo garoto de 20 anos de idade. Assim que me separei, ele, o meu filho, mesmo tendo o seu quarto, passou a dormir comigo e isso, durou até aos seus 18 anos de idade, quando então, como mãe e mulher, percebi que enquanto dormia, deitada de lado e virada de costas pra ele, ele, o meu lindo e amado filho, ficava esfregando o seu pau bem duro nas minhas coxas e na minha bunda, é claro que me assustei, mas nada fiz quando descobri o que ele fazia enquanto eu dormia com receio de que pudesse criar algum problema para ele. Fiquei sem saber o que fazer e mesmo pedindo para que ele fosse dormir em seu quarto que eu havia equipado com uma boa aparelhagem de som, televisão e computador, ele, sempre dava um jeito de vir se deitar comigo e eu, nada podia fazer, afinal era e é, o meu único e amado filho. Mas, bastava eu fingir que pegava no sono que lá vinha ele se encostando em mim e esfregando seu pau nas minhas sempre macias, aveludadas, perfumadas, coxas e bunda. Muitas vezes sentia que ele se masturbava e gozava esguichando os jatos de porra na minha lingerie ou camisola. Por ser professora do ensino fundamental, cheguei várias vezes a tocar com cuidado nesse assunto com algumas colegas e algumas me disseram que já tinham passado por tais experiências e viam isso, como uma formação erótica e sexual dos meninos. Foi então que certa ocasião, a poucos dias dele completar 19 anos, que eu fugi pra um baile em um conhecido clube daqui e quando voltei, em razão dos uísques que havia tomado, fui tirando a roupa pela casa e cai praticamente desmaiada na minha cama. Acordando e me vendo naquele estado o meu filho se aproximou, retirou as minhas sandálias dos meus pés e senti que em seguida ele chupou os meus dois dedões dos pés, fiquei com o corpo completamente arrepiado e em seguida, ele me deitou de bruços sob a cama e passou a percorrer o meu corpo com a sua língua e lábios, que tesão que eu senti. Fingindo que dormia, ele começou a me beijar as costas e a vontade que eu tinha era de gritar, gemer e delirar de prazer, mas me segurei e continuei muda como se estivesse em um sono profundo. Em seguida, parando de me beijar e lamber toda a extensão das minhas costas, ele me chamou: "Mãe, mãe, mãe!" Como eu não respondi e continuei muda, imóvel, ele imaginou que eu estivesse completamente apagada e aí, sem perda de tempo foi abaixando a minha minúscula calcinha branca e assim que me deixou peladinha ele veio por cima de mim, me lambeu as nádegas e as abriu. Quando ele viu o meu orifício anal ele deu uma linguada que quase me levou a gritar e aí sem ele perceber comecei a morder o travesseiro. Me vendo ali, completamente imóvel e inerte, ele foi até o seu quarto de onde voltou com uma bisnaga com um gel e lubrificou o meu cuzinho com aquele creme e depois de passar na cabeça do pau ele a encostou na entradinha do meu rabo, eu dei uma mexida e ele assustou e parou, mas eu fiquei quieta e ele novamente me chamou: "Mãe, mãe, mãe!" Como eu não respondi, ele voltou a encostar a cabeça do pau na entrada do meu cu e foi empurrando, eu senti uma dor incrível, eu, nunca tinha dado o meu rabo nem para o pai dele durante o tempo que fomos casados e no entanto, eu estava sofrendo, mas me deliciando com o pau do meu lindo e amado filho me rasgando, dilacerando e arrombando com as pregas do meu cu. Quando o seu pau entrou por inteiro no meu reto, ele me segurou pelos quadris e começou a meter gostoso, me fazendo sentir uma dor incrível no início e depois, foi sendo substituída por uma sensação maravilhosa de um prazer indescritível. Ele enfiava tudo até as bolas do saco baterem na minha bunda e gemendo como um jovem potro sobre as ancas de uma égua ele me desferia golpes do pau no meu rabo. Sem poder gemer, delirar, gritar e urrar de prazer, eu o ouvia gemer e num momento deixando escapar, ele falou: "Ai mãe, que delícia que é o seu cuzinho, eu não aguento mais minha mãezinha e vou gozar." Não deu outra, rapidinho eu senti um líquido quente jorrar dentro do meu reto e não demorou começou a me escorrer para a minha boceta, foi uma delícia"! Assim que ele tirou o pau já amolecido de dentro do meu cu todo arrombadinho, laceado e dolorido, ele, se levantou e foi no banheiro do meu quarto onde pegou uma toalha e a umedeceu e em seguida, veio me limpar a porra que escorria do meu rabo. assim que terminou de me limpar, ele levou a toalha de volta para o banheiro e após fechar a porta do meu quarto, foi se deitar. Eu fiquei tão excitada de tesão em poder ter sido comida no meu cu pelo meu próprio filho, que sem me controlar, me levantei e fui até o meu guarda roupas onde peguei o meu consolo na cor preta e no tamanho 20x6,5 e me masturbei me imaginando que estava sendo comida na xoxota pelo meu lindo e amado filho. Assim que gozei me levantei e tranquei a porta do meu quarto e dormi peladinha como uma mãe que havia acabado de ser comida pelo filho. Assim, vivi a minha primeira relação incestuosa com o meu proprio filho. Loren Suzana

7 comentários:

Anônimo disse...

Eu n vejo nada errado como essa sua atitude,e é vc mesma q tem q satisfazer quem tem carinhoso e amor por vc.e quem n vai ti difamar,vai é querer ti proteger..ou vc q deixar q outra receba o mellhor q era de vc eq ele quer ti dar..eu adorei teu conto e gostei de sua atitude,eu creio q ele ficou mt feliz e vc tambem.mas tem mts gente q n tem amor por ninguem e nem por ela propria e fica julgando e acha q errado oq vc fez.eu n vejo assim.so guardam segredo entre vcs dois.pq o prazer é de vcs dois.tem um ditado q diz agente diz o milagre mais n diz o santo dono do milagre.entao so divida seu prazer com agente,mas n cite quem E vc,nem seu nome e nem o dele.pra vc n ser julgada por quem so pensa em si mesma.o prazer vc pde dividir com agente.dizendo detalhe em contos.parabens e td de bom pra vcs e aproveitem td de bom q a vida nos proporciona,pq a vida é mt curta.

Anônimo disse...

oi bom dia adorei seu conto
vc deve ser muito tesuda
sou cadeirante tenho 22
de idade msn ivan_silveira@live.com
bjss

Anônimo disse...

oi adorei seu conto!fiquei de pau duro!gostaria de ver su buceta no msn meu e sergio@ceolin.com bjssss mamae gostosa!

Anônimo disse...

Legal add ai meu msn para vc me contar +
yago_vyp@hotmail.com

Anônimo disse...

Adorei seu conto safada

Anônimo disse...

Quero transa com vc sua gostosa so fasinado em um cuzinho

Anônimo disse...

tive uma experiencia muito parecida com meu filho de 17,eu 29.meu marido é caminhoneiro viaja e passa de dois a tres meses fora de casa e meu filho dorme na cama comigo, e por compahia sempre se agarra comigo por pesadeloe e trovão.de há 2 meses prá cá vi que por ter sonhos eróticos,se abraça comigo e instintivamente se esfrega em mim, deixei e viciei,pois faço massagens em seu grande e monstroso caralho e ele fingindo dormir eu o chupo delicadamente até gozar; antes de ontem não aguentei e sentei em seu mastro enfiando em minha buceta, gozei feito uma desvairada, certamente ele gostou, pois ontem ele dormiu sem zorba; mas hoje, às 11 Hs vou me deitar bem lubrificada a xoxota e cuem cuzinho prá ver no que dá, adorei o relato, Dorolandia.